MegaAgro - O Agronegócio na Internet

Voltar para a Home

  

  

MANUTENÇÃO DE TRATORES : 
UMA QUESTÃO DE NECESSIDADE E INTELIGÊNCIA

 

Autor: Engenheiro Agrônomo Marcos Rubino / Comper Tratores, Araraquara, SP.

 

Introdução
Motor
Sistema de Alimentação/ar
Sistema de Admissão Turbo Alimentado
Manutenção do Sistema de Filtragem de Ar
Sistema de Alimentação de Combustível
Manutenção do Sistema de Combustível
Sistema de Lubrificação
Manutenção do Sistema de Lubrificação do Carter do Motor
Substituição do Filtro de Óleo Lubrificante
Sistema de Arrefecimento
Manutenção do Sistema de Arrefecimento
Embreagem
Folga Livre do Pedal da Embreagem
Cuidados com o Sistema de Embreagem
Transmissão / Eixo / Hidráulico
Verificação do Nível de Óleo da Caixa de Câmbio, Transmissões Finais, Sistemas Hidráulicos e Direção Hidráulica
Recomendações Finais

 

INTRODUÇÃO

O trator agrícola é sem dúvida nenhuma uma das ferramentas mais utilizadas na moderna agricultura, participando de maneira decisiva na Citricultura. Desde o preparo inicial do solo, até operações de gradagens, roçadas, pulverizações, adubações, podas e, até mesmo, escoando a produção para fora dos talhões, essas máquinas representam ao Citricultor um grande e importante investimento, superando muitas vezes os bens que o mesmo utiliza para seu próprio lazer. Saber conservar esse capital é, acima de tudo, uma necessidade. Sua manutenção, e a dos implementos, parceiros inseparáveis, é de fundamental importância, já que o conjunto será responsável por parcela significativa dos custos de produção.

Apesar da complexa mecânica de um trator, medidas simples e preventivas realizadas periodicamente antes ou depois das operações de campo, serão importantes na prevenção de defeitos e avarias mais graves e seguramente proporcionarão às máquinas uma vida útil mais longa e um valor residual maior. Portanto lembre-se, cuidando de sua máquina você estará cuidando da eficiência da sua atividade como Citricultor. Siga esses conselhos de maneira sistemática e cobre dos responsáveis dentro da sua Propriedade.

 

CONCEITO BÁSICO DE UM TRATOR AGRÍCOLA : O trator agrícola é constituído basicamente de motor, transmissão, embreagem, caixa de cambio, diferencial, transmissão final e eixo dianteiro (no caso 4x4) e sistemas hidráulicos.

 

MOTOR

O motor é um conjunto mecânico capaz de transformar energia térmica em trabalho mecânico. Os motores usados nos tratores agrícolas usam óleo Diesel como combustível. Para iniciar a combustão é necessário adequar em proporções corretas, três elementos fundamentais, sendo: ar (oxigênio), combustível e calor.

 

Admissão: No início do funcionamento a válvula de admissão está aberta, permitindo a entrada de ar, no espaço resultante pela descida do embolo (pistão).

Compressão: Em seguida, a válvula de admissão é fechada, tornando  cilindro completamente vedado. Com o giro da árvore de manivelas (virabrequim), o embolo sobe, comprimindo o ar existente dentro do cilindro.

Combustão : Nesse instante, o bico injetor pulveriza o diesel no interior do cilindro, que se encontra fortemente aquecido pelo calor resultante da compressão do ar. O diesel inflama-se, dando origem a uma combustão de calor que empurra o embolo de ponto morto superior (PMS), para o ponto morto inferior  (PMI).

Escape : Nesse momento, o pistão está subindo novamente, e a válvula de escapamento se abre, dando a saída dos gases queimados para o escapamento.

 

SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO / AR

Freqüentemente um trator trabalha sob condições muito severas de poeira. O motor aspira o ar diretamente do ambiente onde se encontra, por isso é muito importante que o mesmo tenha um eficiente sistema de filtragem de ar.

 

SISTEMA DE ADMISSÃO TURBO ALIMENTADO

Nos motores turboalimentados, o ar é introduzido nos cilindros, por intermédio de um compressor centrifugo, movido por uma turbina. A superalimentação ou turboalimentação do motor consiste em substituir a admissão normal, por uma admissão mais eficiente, de modo a assegurar um melhor enchimento do cilindro.

Essa turbina é acionada pelos gases de escapamento, que movimenta o compressor centrífugo. Aumentado o volume de ar nos cilindros, é possível injetar mais combustível, podendo levar a um incremento da potência e do torque em torno de 30 %, sem entretanto diminuir a vida útil do motor.

A turboalimentação favorece sobre maneira a homogeneidade da mistura, devida a forte agitação provocada pela velocidade do ar no cilindro, melhorando assim o rendimento da combustão.

 

ATENÇÃO: Em tratores turboalimentados nunca acelere o motor quando você der partida, pois o óleo demora um pouco mais para chegar até o turboalimentador podendo causar sérios danos; o mesmo também vale para quando desligar o motor; deixe o mesmo funcionando em marcha lenta por alguns segundos antes de fazer o corte de combustível.

 

MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE FILTRAGEM DE AR

A manutenção do sistema de filtragem do ar só deve ser executada se a restrição máxima (máxima dificuldade da passagem do ar pelo filtro) for atingida. Através do indicador de restrição, saberemos o momento exato de se executar a manutenção do filtro de ar. O excesso de manutenção pode causar danos ao filtro, além de diminuir a vida útil do elemento, aumentando o tempo e os custos de manutenção. Siga também esses conselhos, com relação aos seus componentes.

 

Válvula de descarga

Diariamente ou quando trabalhar sob condições de muita poeira, pressione a válvula de descarga para remover a poeira acumulada.

Importante: Verifique o estado geral das mangueiras e a fixação das braçadeiras. A limpeza deve ser feita com o auxilio de um dispositivo especial, aplique ar comprimido de dentro para fora.

Advertência: O elemento de segurança não admite processos de limpeza para a sua manutenção. Restringe-se apenas a sua troca em conjunto com o elemento filtrante.

 

Atenção : Não aplique jatos de ar com pressão superior a 5 bar (70lb/pol2), ou de fora para dentro. Após a limpeza, em uma sala escura, coloque uma lâmpada acesa no interior do filtro e verifique se não há furos no elemento filtrante. Ao fazer a instalação do filtro na carcaça, faça uma marca para indicar o número   de limpezas a que este foi submetido. Isto é muito importante, pois o filtro deve ser substituído a cada cinco limpezas ou um ano.

                       

Observações: A limpeza do filtro de ar somente deve ser feita quando a lâmpada do indicador de restrição acender com o trator em operação normal. Nunca use gases do escapamento para a limpeza do filtro, pois os resíduos contidos nos gases ficam retidos na parte interna do filtro e retornam ao motor, podendo causar sérios danos.

 

SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL

O combustível necessário para o funcionamento do motor é sugado do reservatório através da bomba alimentadora, pressurizando e então pulverizado para o interior dos cilindros através da bomba injetora e dos bicos injetores. Abasteça o tanque de combustível diariamente após a jornada de trabalho, para evitar a formação de água e contaminação do óleo. Periodicamente verifique também o estado da borracha de vedação do tanque. Caso esteja danificada deve ser substituída por uma nova.

Para limpeza do filtro de tela da sucção do tanque de combustível, drene-o utilizando um recipiente adequado para o óleo diesel, depois retire o filtro de tela e limpe-o com óleo diesel limpo. Monte o filtro na ordem inversa à desmontagem e verifique que não existam vazamentos de combustível.

 

Bomba alimentadora sistema de alimentação c.c.v. : A cada 100 horas de trabalho remova o bujão para fazer uma limpeza na tela filtrante da bomba.

 

ATENÇÃO:  Ao recolocar a tela filtrante observe que o flange deve ficar voltado para baixo. Substitua o anel de vedação. Se necessário e aperte o bujão sem exagero.

 

Sistema de alimentação Bosch – Retire o parafuso de conexão juntamente com as duas Arruelas de vedação.

 

Retire o filtro de tela utilizando uma chave de fenda e limpe o elemento de tela, com ar comprimido seco. Monte o conjunto na ordem inversa, efetue a sangria do sistema de combustível.

 

MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE COMBUTÍVEL

Como você já sabe, a bomba injetora e os bicos injetores são componentes muito sensíveis e de altíssima precisão. Os mecanismos internos da bomba injetora são lubrificados com o próprio óleo Diesel. Por isso é muito importante que esse óleo seja bem filtrado e isento de água.

 

Drenagem do sedimentador : Diariamente, antes de dar a partida no motor, é importante que você faça a drenagem da água e impurezas que se acumulam no fundo. Para isso solte o bujão de dreno situado na parte inferior e deixe escorrer um pouco, fechado novamente.

 

Substituição do filtro e limpeza do sedimentador de combustível: A cada 200 horas de trabalho faça a substituição do filtro de combustível e também a limpeza do sedimentador. Para a desmontagem desses componentes, solte o parafuso central e desmonte-os. Ao instalar o filtro de combustível novo, coloque todos os anéis de vedação que acompanham a embreagem.

 

ATENÇÃO: Aperto exagerado dos filtros poderá causar danos à rosca ou as juntas de vedação. Limpe a superfície em torno do cabeçote do filtro de combustível.

 

Importante: Durante a operação com carga contínua, utilizar sempre o acelerador manual, nas manobras de cabeceira ou em transporte, utilize o acelerador de pé.

 

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Um trator agrícola possui centenas de mecanismos móveis que se atritam e exercem esforços. Uma boa lubrificação é de fundamental importância. Alguns minutos sem lubrificação no virabrequim do pistão e do comando de válvulas seriam suficientes para fundir o motor e causar graves prejuízos. O óleo lubrificante também possui a função de resfriamento dos mecanismos móveis, absorvendo o calor gerado, além de atuar como elemento de limpeza.

 

MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO DO CÁRTER DO MOTOR

Nível do abastecimento: Diariamente, antes de dar a partida no motor e com o trator em solo plano remova a vareta de nível e verifique o óleo.

O nível de óleo do motor deve estar entre as marcas mínima e máxima. Para completar o nível de óleo do motor, remova a tampa de abastecimento, coloque o óleo apropriado.

 

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE ÓLEO LUBRIFICANTE

A cada período determinado pela manutenção automotiva deve-se substituir o filtro e o óleo. Isto é muito importante para uma maior vida do motor; para tratores novos a primeira troca deve ser feita em 100 horas de trabalho. Veja procedimento abaixo.

 

Remova o bujão de drenagem do Carter e deixe escoar todo o óleo.

Atenção! Essa operação deve ser feita logo após um período de trabalho, quando o óleo ainda estiver quente.

Manualmente ou com o auxilio de uma cinta, remova o filtro e descarte-o.

Limpe o suporte do filtro com um pano que não solte fiapos.

Lubrifique a borracha de vedação do filtro novo com um pouco de óleo e aperte-o apenas o suficiente para que não haja vazamentos.

Coloque o óleo novo até completar o nível.

Em motores com intercambiador de calor acoplado ao filtro, deve-se tomar cuidado ao soltar o filtro para não danificar as mangueiras de ligação.

 

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

O sistema de arrefecimento tem a finalidade de eliminar o excesso de calor produzido pelo motor. A queima de combustível e o atrito das peças em movimento geram calor, por isso o motor deve ter um sistema que o mantenha a temperatura adequada de funcionamento. O controle da temperatura no sistema é feito através da válvula termostática, que controla o fluxo d’água.

Quando a válvula está fechada, a água não passa pelo radiador, o que facilita o aquecimento inicial do motor. Com a válvula termostática aberta, a água passa pelo radiador, onde ocorre a troca de calor. Para o motor trabalhar em condições normais de funcionamento.

 

ATENÇÃO: É extremamente importante manter a tampa do radiador, que é equipada com válvula de pressão e de vácuo em perfeitas condições de funcionamento.

 

TAMPA DO RADIADOR: A principal finalidade da Tampa do radiador é retardar o ponto de fervura da água e regular a pressão interna do sistema. Periodicamente verifique se os mecanismos internos da tampa não estão oxidados ou trancados. Caso necessário substitua a tampa.

 

VERIFICAÇÃO DA TAMPA DO RADIADOR: Verifique as condições de junta de vedação da tampa. Se a mesma apresentar defeito, troque a tampa. Aperte com os dedos a válvula de vapor. Verifique o movimento livre e se a mola apresenta mais ou menos a mesma resistência que quando nova. Se a mesma estiver emperrada ou com a mola muito fraca, troque a tampa.

 

Importante: Observar sempre o número gravado na parte superior da tampa, pois ele determina a pressão correta do sistema de arrefecimento.

 

O ventilador: O ventilador está acoplado à polia da bomba d’água. Ele proporciona uma corrente de ar através das colméias do radiador, promovendo o resfriamento d’água.

Correia do ventilador: A correia do ventilador aciona a bomba d’água, o ventilador e o alternador através da polia do virabrequim. Periodicamente verifique a tensão da correia entre o ventilador e a polia de acionamento. Esta deve ceder cerca de 1 a 2 cm. Caso necessário, ajustar a tensão da correia.

 

MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Diariamente, antes de dar partida no motor, verifique o nível d’água do radiador e complete-o com água potável se necessário. A cada 1000 horas trabalhadas substitua a água do radiador. Adicione um inibidor de corrosão, na proporção recomendada pelo fabricante.

 

ATENÇÃO: Nunca utilize o trator se a válvula termostática. Verificar se há vazamento nas mangueiras, reapertando-as se necessário.             Limpar regularmente as colméias do radiador, máscara e tela protetora, com ar comprimido, de dentro para fora. Verificar palhetas do ventilador e o defletor do radiador (saia). Verificar se o marcador de temperatura está funcionando.

 

EMBREAGEM

O conjunto de embreagem é o componente mecânico, responsável pela transmissão da potência do motor para a caixa de câmbio. A embreagem possui basicamente três funções:

 

Transmitir o movimento do motor para os demais mecanismos de transmissão, de modo suave e gradativo, sem vibração ou deslizamentos.

Interromper a transmissão da potência do motor à transmissão permitindo a toca de marchas.

Permitir a parada do trator e de um equipamento acionado pela TDP.

 

Tipos de embreagem: Independente e Simples

Através das características deixadas na peça danificada, pode-se identificar a causa da falha :

Pontos de super aquecimento na placa de pressão:

Causa: A embreagem foi forçada a patinar muito tempo, óleo ou graxa sobre os revestimentos, folgas do rolamento da embreagem fora do especificado pelo fabricante.

Resultante: Embreagem trepida e/ou patina.

 

Sulcos e marcas de super aquecimento sobre a placa de pressão (placa de pressão azulada):

Causa: Desgaste do revestimento, descanso do pé do operador no pedal, folga do rolamento fora do especificado, a embreagem não libera totalmente o disco quando acionada.

Resultado: Embreagem patina.

 

FOLGA LIVRE DO PEDAL DA EMBREAGEM

O controle da embreagem é feito por meio do pedal e alavancas. Essa relação de alavancas permite multiplicar a força aplicada pelo operador no pedal, o suficiente para vencer a forte pressão das molas sobre o prato de pressão principal.

 

ATENÇÃO 1. Quanto estiver operando normalmente o trator, não fique descansando o pé sobre o pedal da embreagem, pois isto ocasiona o desgaste prematuro do disco, platô, volante do motor e rolamento desligador. Em conseqüência disso, o enforcamento da embreagem.

 

ATENÇÃO 2. Fique atento com relação à folga livre do pedal. Essa folga tende a diminuir com o desgaste do disco. Faça nova regulagem quando o valor atingir limites para cada modelo de trator.

           

Para garantir que as molas atuem totalmente sobre o disco, é deixada uma folga entre o rolamento desligador e os atuadores do prato de pressão principal. Essa folga é o que chamamos de curso livre do pedal. Pressione o pedal com a mão até sentir o contato do rolamento de encosto com as membranas do platô da embreagem. Nessa condição o curso livre do pedal da embreagem é de 15 a 20 mm.

 

CUIDADOS COM O SISTEMA DE EMBREAGEM

Lubrificação dos filtros do mancal da bucha de guia da embreagem.

Remova os parafusos de fixação do tapete.

Retire os parafusos que fixam a chapa que dá acesso à tampa da embreagem.

Retire a borracha do furo de lubrificação.

Utilizando almotolia com óleo SAE 90.

Lubrifique os filtros até os mesmos ficarem embebidos de óleo.

 

IMPORTANTE:A não lubrificação do guia da embreagem poderá acarretar sérias avarias no sistema. Evite manter o pedal da embreagem acionada por período prolongado, evitando sobrecarga no mancal de encosto do virabrequim.

 

ATENÇÃO: A alavanca da embreagem deverá permanecer nesta posição somente por um curto período de tempo (máximo 1 minuto), sob pena de danificar o motor.

 

TRANSMISSÃO / EIXO / HIDRÁULICO

Verificar os níveis de óleo periodicamente.

Verificar se há vazamento no circuito.

Verificar se o óleo não está contaminado.

Trocar os filtros e o óleo nos períodos recomendados.

Verificar os respiros limpando-os se necessário.

Lubrificar os pinos graxeiros periodicamente.

Verificar diariamente se a luz de alerta da pressão de óleo está funcionando.

Verificar e limpar o filtro de sucção conforme recomendado pelo fabricante.

 

IMPORTANTE: Nunca deixe o óleo ficar abaixo do nível mínimo especificado, isto poderá causar danos muito graves ao sistema. Ao acoplar implemento no controle remoto, certifique-se que o óleo contido no cilindro do implemento é o mesmo óleo do trator. Da mesma forma, nunca utilize óleos de marca ou classificação diferente do especificado, na troca ou remonta.

 

VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DE ÓLEO DA CAIXA DE CÂMBIO, TRANSMISSÕES FINAIS, SISTEMAS HIDRÁULICOS E DIREÇÃO HIDRÁULICA

Para verificar o nível de óleo, coloque o trator num local plano e horizontal.

Para o sistema hidráulico abaixe totalmente os braços inferiores.

O nível deverá ser mantido na posição normal em operação normais.

No caso de apenas cilindros de controle remoto que precisam de volume maior de óleo, o nível pode ser mantido na marca máxima conforme necessidade.

 

RECOMENDAÇÕES FINAIS

Quando não estiver trabalhando, mantenha sempre seu trator em lugar apropriado. Invista, se necessário, em instalações como barracão, garagem, etc, para que o mesmo não fique no tempo e se deteriore com muito mais facilidade.

Confie seu uso para pessoas experientes, cuidadosas e de confiança e as responsabilize sempre que houver falha humana na sua operação. Pagar salários condizentes com a profissão trará somente benefícios, uma vez que um funcionário satisfeito terá um rendimento muito mais elevado e operará sua máquina com muito mais cuidado. Lembre-se também de fornecer ao operador os equipamentos de segurança necessários como uniforme, tapa-ouvidos, botas, já que a segurança do mesmo é também de sua responsabilidade.

Tenha sempre na sua propriedade uma oficina de reparos rápidos para consertos básicos para que não se perca demasiado tempo em levá-lo sempre a uma oficina. Lembre-se que quanto mais você operar sua máquina, menores serão seus custos operacionais.

Os cuidados com seu trator devem se estender a seus pneus, sendo os mesmos importantes para a eficiência das operações e segurança do operador. Os mesmos devem sempre ser mantidos calibrados.

Mantenha sempre registros de todas as operações feitas com seu trator para, através da comparações dos rendimentos no tempo, ser possível avaliar os rendimentos da máquina na sua propriedade e com propriedades vizinhas; mantenha também registros das manutenções realizadas.

Observando esses conselhos e seguindo as recomendações aqui abordadas, seguramente você obterá ganhos significativos nos custos operacionais com reflexos em nos custos totais e prolongará a vida útil de sua máquina. Lembre-se também que parte desses conselhos são também aplicáveis à seus implementos. 


megaagro@megaagro.com.br